domingo, 13 de setembro de 2015

Desalento

Tristeza destas minhas mãos
demasiado pesadas
para não abrirem feridas,
demasiado leves
para deixarem marca –
tristeza desta minha boca
que diz as mesmas
palavras que tu
– significando outras coisas –
e esta é a expressão
da mais desesperada
distância.

Antonia Pozzi

2 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

mais uma bela escolha!

o poema é realmente muito bom.

beijo

:)

Pérola disse...

Palavras que se vestem em tons de azul: gosto muito.

Beijo