domingo, 6 de março de 2011

Amor à vista

Entras como um punhal
até à minha vida.
Rasgas de estrelas e de sal
a carne da ferida.


Instala-te nas minas.
Dinamita e devora.
Porque quem assassinas
é um monstro de lágrimas que adora.


Dá-me um beijo ou a morte.
Anda. Avança.
Deixa lá a esperança
para quem a suporte.


Mas o mar e os montes...
isso, sim.
Não te amedrontes.
Atira-os sobre mim.


Atira-os de espada.
Porque ficas vencida
ou desta minha vida
não fica nada.


Mar e montes teus beijos, meu amor,
sobre os meus férreos dentes.
Mar e montes esperados com terror
de que te ausentes.


Mar e montes teus beijos, meu amor!...


Fernando Echevarría

1 comentário:

Ale. disse...

Muito bonito...
Parabéns.
Ale.